Tecnologia da Informação
Header

Mais um desafio superado: GATI conquista certificação MPS.Br

dezembro 28th, 2013 | Posted by admin in Gestão de Pessoas - (Comentários desativados)

GATI conquista certificação MPS.BrNo ano passado, os colaboradores da GATI Tecnologia da Informação receberam uma tarefa diferente: criar uma frase que representasse o momento vivido pela empresa às vésperas de iniciar o projeto de adequação ao modelo MPS.Br (Melhoria de Processo de Software Brasileiro). “O desafio é o que nos move” foi a sugestão de uma das profissionais que, de acordo com o diretor de Operações Dionei Domingos, resumiu o sentimento de toda a equipe: dez meses e mais de 2 mil horas de trabalho depois, o desafio foi superado e a empresa recebeu, no dia 28 de junho, o selo MPS.Br Nível F, certificando desta forma as boas práticas utilizadas na fábrica de softwares GATI. “Este é o pontapé inicial para a criação da GATI Labs, o laboratório de pesquisa e desenvolvimento de softwares da GATI”, adianta Dionei.

“Por conta do perfil e da competência de nossos profissionais, pensávamos que os serviços que oferecíamos eram diferenciados. Mas notamos que isso só fazia sentido quando a GATI era menor, pois conseguíamos ter o domínio sobre tudo o que a equipe executava e como executava”, lembra o diretor. Assim, como consequência ao crescimento da empresa, houve a necessidade de implantar um método padronizado que garantisse mais produtividade, qualidade e maturidade aos processos de desenvolvimento de software. “Foi aí que chegamos ao MPS.Br”, conta, comemorando o fato da GATI ser a primeira empresa joinvilense a conquistar este selo.

Mudanças e melhorias

“Criamos praticamente um novo negócio. Passamos por uma mudança de paradigma tanto da empresa quanto dos profissionais que nela atuam”, destaca o Dionei. Isso aconteceu, segundo ele, porque houve uma reestruturação interna, com a criação de novas funções e a remodelagem da fábrica de software. Se antes a maior parte dos cerca de 80 funcionários ficava alocada em clientes, hoje o cenário é outro, com a maioria deles atuando diretamente a partir da GATI.

É preciso destacar, porém, que nem tudo foi fácil. “Os primeiros projetos foram realmente mais trabalhosos. Precisamos ler documentações, participar de treinamentos, fazer toda a adequação entre as equipes, do início à entrega do produto. Mas já percebemos benefícios enormes, com um maior controle de tudo o que executamos”, conta o coordenador de desenvolvimento Fábio Goll. Ele destaca que o fato da GATI contar com uma cultura interna marcada pela colaboração, o trabalho em equipe contribuiu muito em todo o processo de certificação: “Como cada um tinha seu papel bem definido, sabendo o que e quando fazer, conseguia cobrar e auxiliar os colegas, aumentando, assim, a produtividade”.

Satisfação aos clientes

A conquista da certificação MPS.Br também garante vantagens aos clientes, que passam a contar com ainda mais transparência e segurança ao acompanharem todo o fluxo de trabalho. “O produto final ganha muito mais valor. Com a certificação MPS.Br garantimos mais que a entrega de um bom serviço: garantimos também as melhores práticas no processo de desenvolvimento e na entrega”, explica Dionei. “Investimos tempo e muita energia para que nossos clientes recebam cada vez mais valor”, acrescenta o gerente de projetos Leonardo Lazarini.

Você já ouviu falar de desenvolvimento de software utilizando Body Shop?

Para entrar de vez nesse assunto, nosso colaborador Daniel Schreiber produziu um conteúdo (aprovado no SBQS 2011) sobre como diminuir riscos utilizando o tão falado body shop, usando como referencias a própria GATI, que atua há muitos anos também nesta modalidade de serviços. O Artigo teve a participação de nosso diretor de operações Sr. Dionei Domingos.

Clientes e fornecedores trabalham em parceria para atender as necessidades do mercado, se comprometendo com a qualidade do produto final. No contexto de TI, a realização de body shop se tornou uma prática comum, devido à alta celeridade das mudanças do ambiente. Contudo, a realização de terceirização apresenta riscos que precisam ser reduzidos ou mesmo evitados. Este artigo relata as atividades desenvolvidas e lições aprendidas na realização de body shop em desenvolvimento de software, propondo um conjunto de ações preventivas para melhorar a qualidade e diminuir os riscos na terceirização.

Para acessar o conteúdo completo, acesse o link: http://slidesha.re/HH1SFx